General Braga Netto convocou reunião para mudar bula da cloroquina, admite Anvisa

O diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, afirmou ontem, inquirido pelo senador Alessandro Vieira (SE), líder do Cidadania, que partiu do então ministro da Casa Civil, general Walter Braga Netto, a convocação da notória reunião para discutir mudanças na bula da cloroquina, por meio de decreto. Barra Torres confirmou que a reunião, no Planalto, com a presença do então ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, e da médica Nise Yamaguchi, defensora da cloroquina, tinha como único objetivo massificar o uso do tratamento precoce com o medicamento, incluindo na sua bula o combate à Covid-19.


Ao depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) nesta terça-feira, 11, Barra Torres disse que rejeitou prontamente a ideia por "não ter cabimento". Alessandro Vieira lembrou que, no entanto, após uma sequência de atos normativos restringindo ainda mais o uso da cloroquina, a Anvisa mudou de posição e passou a liberar o remédio com mais facilidade. "Passou a haver um consumo bem maior que a produção, e numa velocidade avassaladora", explicou Barra Torres, "então precisávamos garantir o uso para quem efetivamente precisasse, caso do uso para pacientes lúpicos, maláricos e artríticos. Como o medicamento sumiu das prateleiras, entendemos que era hora de desburocratizar". A Anvisa, porém, nunca referendou o uso da cloroquina para Covid-19.



Texto: Ricardo Miranda - Assessoria do parlamentar

Foto: Agência Senado

5 visualizações0 comentário